FAQ - PERGUNTAS FREQUENTES

Termos comuns

O que é uma tradução juramentada?

A tradução juramentada tem fé pública, quer dizer, será aceita pelas autoridades como se fosse o documento original. Por isso, tem de seguir certos padrões e só pode ser entregue no papel timbrado do Tradutor Público, devidamente assinado e carimbado.

As traduções juramentadas devem ser rigorosas e precisas, já que serão apresentadas a autoridades e uma tradução imprecisa pode prejudicar alguém.

O tradutor, além do conhecimento das línguas envolvidas, precisa conhecer bem uma série de normas e praxes.

.

O que é uma Lauda?

A lauda é o nome legal para a página traduzida. A Deliberação n° 91 da JUCERJA estabelece que a lauda adotada no Estado do Rio de Janeiro tem até 1.000 (mil) caracteres, datilografados ou digitados, não computando os espaços em branco.

O que são Emolumentos?

O mesmo que honorários: o valor a ser pago pelos serviços prestados por um profissional liberal. No caso dos emolumentos do tradutor público, são fixados e publicados pela Junta Comercial do Estado onde o tradutor público é matriculado e exerce o ofício.

A tabela de emolumentos em vigor no Estado do Rio de Janeiro consta da Deliberação n° 91, de 21 de dezembro de 2015 (veja a tabela).

O que é considerado pronto exercício?

Serviço executado à proporção de duas laudas por dia útil, transcorrido entre a solicitação inicial e a data em que estiver à disposição do interessado.

O que é considerado dia útil?

Dia de trabalho à exclusão de sábados, domingos e feriados.

.

Tradução juramentada e procedimentos

O que é uma Segunda Via, Cópia ou Certidão de Tradução Juramentada?

São todos termos que significam a mesma coisa. Como toda tradução juramentada é um documento oficial, entregue em formato de documento físico assinado e carimbado pelo tradutor público, o cliente tem a possibilidade de solicitar uma segunda via da tradução. Pode ser solicitada desde o início, para entrega junto com a tradução, ou pode ser solicitada posteriormente. O valor cobrado pela certidão é uma porcentagem dos emolumentos cobrados pela tradução juramentada, dependendo de quando a certidão foi solicitada. Essa porcentagem também é fixada na tabela de emolumentos da Junta Comercial (Ver “O que são Emolumentos” acima).

Posso mandar o documento por e-mail ou fax?

Mesmo que, para acelerar o trabalho, o tradutor receba o documento por e-mail ou por fax, ele terá de conferir a tradução juramentada com o documento original do cliente.

Esse procedimento é indispensável: várias palavras, legíveis no original, saem distorcidas e ilegíveis no fax. Outra razão é que o original pode ser autenticado com carimbo em relevo e ter marca-d’água, que o tradutor tem de descrever na tradução, mas que não aparecem na cópia.

Além disso, o cliente pode esquecer de copiar o verso da folha, onde se encontram os carimbos de autenticação de muitos documentos oficiais. Estes carimbos também precisam ser traduzidos.

Entretanto, caso o cliente só possua o documento digital, é possível fazer a tradução, mencionando-se na mesma esta particularidade. É necessário que o cliente certifique-se de que a tradução a partir de documento digital será aceita.

Posso deixar uma cópia do documento?

Não é aconselhável, pelos motivos citados na resposta sobre o fax. Se o cliente apresentar uma cópia autenticada, o tradutor terá de mencionar isso na tradução.

Custos

Existe uma tabela de preços a serem cobrados pelas traduções de documentos?

Sim, existe uma tabela de emolumentos homologada pelas Juntas Comerciais de cada estado.

Conforme disposto na Instrução Normativa Nº 84/2000 do Departamento Nacional do Registro do Comércio (DNRC):

“Art. 14. A Junta Comercial aprovará os valores, bem como organizará a tabela dos emolumentos devidos ao Tradutor Público e Intérprete Comercial.

Parágrafo único. A tabela de que trata este artigo deverá, obrigatoriamente, ser afixada pelo Tradutor Público e Intérprete Comercial, de maneira visível ao público, no local em que exerça seu ofício.

Art. 15. Os emolumentos são devidos pelo pronto exercício das funções inerentes ao ofício. 

§ 1º Considera-se atendido o pronto exercício das funções de tradução e/ou versão de textos quando o serviço for executado à proporção de duas laudas de vinte e cinco linhas por dia útil, transcorrido entre a solicitação inicial e a data em que estiver à disposição do interessado.”

Ou seja, os emolumentos dos tradutores públicos são fixados e publicados pela Junta Comercial do Estado onde o tradutor público é matriculado e exerce o ofício. O tradutor público é obrigado, por lei, a respeitar a tabela.

A tabela de emolumentos em vigor no Estado do Rio de Janeiro consta da Deliberação n° 91, de 21 de dezembro de 2015 (veja a tabela)

Preciso traduzir um documento, qual o custo para isto?

Para calcular uma estimativa de custo da tradução, o tradutor público precisa analisar o documento do cliente. Com o documento em mãos, é possível calcular uma estimativa do custo final da tradução. No entanto, é apenas uma estimativa, pois só é possível verificar o valor exato da tradução na conclusão do trabalho.

Peça um orçamento a um tradutor público – clique aqui

Quantas páginas vai dar minha tradução?

Só é possível saber o tamanho exato de uma tradução quando ela está pronta.

Às vezes, uma palavra é traduzida por duas ou mais ou por outra do dobro do tamanho. Isso aumenta a contagem de caracteres da tradução. A lauda adotada no Estado do Rio de Janeiro tem até 1.000 (mil) caracteres, datilografados ou digitados, não computando os espaços em branco.

A tradução equivale a um documento cuja autenticidade é atestada (como num cartório). Por isso, além de traduzir o texto propriamente dito, o tradutor tem de traduzir rigorosamente todos os carimbos que autenticam o documento também.

Peça um orçamento a um tradutor público – clique aqui

Posso deixar pago?

O pagamento integral antecipado é difícil. O tradutor, baseado na sua experiência, fornece uma estimativa ao cliente. Em certos casos, pode aceitar um adiantamento, mas ele só sabe o preço exato da tradução quando ela está pronta.

Para fazer o orçamento da tradução de um documento, dirija-se a um tradutor da língua para a qual precisa traduzi-lo.

Ele examinará o texto a ser traduzido e avaliará o tempo necessário para a execução do trabalho (pesquisa de termos em dicionários e na internet, consulta a especialistas). Levará em conta a pressa do cliente e lhe fornecerá um orçamento aproximado.

Preciso traduzir um documento e pedi orçamentos a vários tradutores públicos. Cada um informou um valor diferente. Se todos devem cobrar o valor tabelado, porque os orçamentos são diferentes?

Todo tradutor público é obrigado, por lei, a respeitar a tabela de emolumentos e as normas fixadas pela Junta Comercial, para manter sua matrícula e garantir a legalidade de suas traduções. Estimativas podem variar entre tradutores públicos, mas a diferença se deve ao modo de calcular a estimativa e não ao preço da lauda. O valor final da tradução será de acordo com a tabela. Sendo assim, é mais cômodo escolher um tradutor do seu bairro, ou que foi recomendado ou cujo trabalho você já conhece.

Poderei enviar meu documento por correio?

Sim, mas é preciso combinar previamente com o tradutor.

Caso você seja de outro estado, entre em contato com a Junta Comercial do seu estado primeiro. Caso não haja tradutor do idioma em questão, você poderá enviar o documento pelo correio para um tradutor de outro estado. As despesas correm por sua conta.

Qual o preço mínimo de uma tradução?

É o preço de uma lauda em prazo normal. Consulte a tabela de preços e prazos.

O tradutor público já traduziu o meu documento algum tempo atrás, mas agora certas informações mudaram no documento. Preciso traduzir o documento atualizado. O tradutor pode conceder um desconto, visto que já traduziu a maior parte do documento?

Cada tradução juramentada é um documento oficial que recebe um número e é registrado em um livro de traduções, que é fiscalizado pela Junta Comercial do estado a cada ano. Se algum dado mudou no documento do cliente, mesmo que seja apenas a data, é considerado um documento novo. Sendo assim, o tradutor público é obrigado a atribuir um novo número e registrar essa nova tradução no livro de traduções, com o seu valor indicado na página onde termina a tradução.

O custo da lauda traduzida leva em conta o tempo de que o tradutor dispõe para realizar o serviço?

Se o cliente não tem pressa, o trabalho é realizado no prazo normal (calculado à proporção de duas laudas traduzidas por dia de trabalho em horário comercial).

Se o cliente necessita do serviço com urgência, em prazo menor que o prazo normal, trata-se de regime de urgência. (Consulte “Prazos” nesta página de Dúvidas frequentes.)

Prazos

Qual o prazo para entrega de uma tradução?

O prazo normal para uma tradução é de um dia útil para cada 2 laudas do tradutor. Existem prazos de urgência, caso haja necessidade.

Em quanto tempo é feita uma tradução?

Depende da dificuldade e do tamanho do documento. Consulte um tradutor para obter uma estimativa e verifique abaixo as possibilidades de prazo urgente e extraordinário.

O que é uma tradução urgente?

Qualquer serviço entregue em um prazo menor que o prazo normal (que é calculado à proporção de duas laudas traduzidas por dia de trabalho em horário comercial) é considerado um serviço urgente. Nesses casos a cobrança da taxa de urgência é obrigatória, sendo vedada a concessão de descontos e abatimentos. O tradutor deve, na última folha da tradução, indicar o valor cobrado pelo serviço, o prazo de execução do serviço e a data e hora de recebimento do pedido de urgência do cliente.

O que é considerado um serviço extraordinário?

Um serviço é considerado extraordinário quando o prazo solicitado pelo cliente e volume de trabalho forçar o tradutor a trabalhar depois do horário comercial, virar a noite, ou trabalhar sábado, domingo e feriado. Nesses casos a cobrança da taxa de serviço extraordinário é obrigatória, sendo vedada a concessão de descontos e abatimentos. O tradutor deve, na última folha da tradução, indicar o valor cobrado pelo serviço, o prazo de execução do serviço e a data e hora de recebimento do pedido de serviço extraordinário do cliente.

O Tradutor Juramentado

O que é necessário para ser tradutor juramentado?

Para se tornar tradutor público juramentado é necessário ser aprovado em concurso público promovido pela Junta Comercial de cada estado sob condições estipuladas na legislação pertinente.

É necessário graduação específica, pós-graduação ou mestrado?

Não, o que se exige no concurso é a comprovação de capacidade para o exercício do ofício, isto é, pleno domínio oral e escrito do português e da língua estrangeira em questão.

Um alto nível cultural também favorece a habilidade de enunciar numa língua o que está dito em outra. Conhecimentos de direito, administração e comércio são indispensáveis.

Onde posso fazer cursos de tradução?

Diversas universidades oferecem cursos para formação de tradutores, entre elas a UERJ e a PUC, no Rio de Janeiro.

Existem cursos específicos para o concurso para Tradutor Juramentado?

Cursos preparatórios específicos para o concurso de tradutor público são anunciados em jornais, quando a Junta de algum estado anuncia um concurso.

Os concursos obedecem à Lei 13.609/43, regulamentada na Instrução Normativa nº 84/2000 do DNRC.

“Orientação quanto à preparação para as provas

Art. 5º As provas escrita e oral compreenderão:

I – prova escrita, constando de versão, para o idioma estrangeiro, de um trecho de trinta ou mais linhas, sorteado no momento, de prosa em vernáculo, de bom autor; e de tradução para o vernáculo de um trecho igual, preferencialmente de cartas rogatórias, procurações, cartas partidas, passaportes, escrituras notariais, testamentos, certificados de incorporação de sociedades anônimas e seus estatutos;

II – prova oral, consistindo em leitura, tradução e versão, bem como em palestra, com arguição no idioma estrangeiro e no vernáculo, que permita verificar se o candidato possui o necessário conhecimento e compreensão das sutilezas e dificuldades de cada uma das línguas.”

Qual o grau de dificuldade das provas?

As provas são de nível muito alto. Para ter uma ideia, leia o art. 5º da Instrução Normativa do DNRC, explicitado acima.

Com que frequência há concursos?

Sempre que a Junta Comercial verifica que o número de tradutores públicos do estado está inferior à demanda por tradução (quer dizer, quando muitos tradutores já faleceram, mudaram-se do estado ou renunciaram ao ofício).

Quando será o próximo concurso para tradutor juramentado?

Só a Junta Comercial do seu estado pode dar informações sobre a realização de concursos, uma vez que, por lei federal, os tradutores públicos são concursados e nomeados pela Junta Comercial de cada estado.

Qual a documentação necessária para um concurso para Tradutor Juramentado?

Para inscrever-se, de modo geral, o candidato necessita de cédula oficial de identidade ou carteira de identidade profissional.

Para efeito de nomeação, os candidatos classificados e convocados ficam sujeitos à apresentação dos seguintes documentos (sujeito a alteração pela Junta Comercial):

1 – Cédula de identidade

2 – Se brasileiro naturalizado, comprovar a naturalização

3 – Quitação com a Justiça Eleitoral

4 – Prova de regularização com o serviço militar (se for o caso)

5 – Certidões negativas de Execuções Criminais, e Distribuidores Criminais Estadual e Federal

6 – Certidões negativas dos Cartórios de Protesto

7 – Certidões negativas de Ações e Execuções Cíveis e de Família, de Falências e Concordatas e de Execuções Fiscais Municipais, Estaduais e Federais

8 – Comprovação de residência.

Legislação

A CLT se aplica aos tradutores públicos?

Não, o tradutor público é um profissional liberal: não estabelece vínculo empregatício com quem recorre a seus serviços.

Qual a legislação aplicável aos Tradutores juramentados?

O ofício de tradutor público é regulamentado pelo Decreto Nº 13.609, de 21 de outubro de 1943, que “Estabelece novo Regulamento para ofício de tradutor público e intérprete comercial no território da República”. A Lei Nº 8.934, de 18 de novembro de 1994, em seu Art. 8º, III, especifica que “Às Juntas Comerciais incumbe processar a habilitação e a nomeação dos tradutores públicos e intérpretes comerciais e o Decreto Nº 1.800, de 30 de janeiro de 1996, Art. 7º, III a), que “compete às Juntas Comerciais processar, em relação aos agentes auxiliares do comércio a habilitação, nomeação, matrícula e seu cancelamento dos tradutores públicos e intérpretes comerciais”. A Instrução Normativa nº 84 do Departamento Nacional do Registro do Comércio (DNRC), de 29 de fevereiro de 2000 “disciplina e uniformiza os procedimentos referentes aos encargos das Juntas Comerciais, com relação ao tradutor público e intérprete comercial”.

Institucionalmente, um ofício de tradutor público traduz-se numa função pública cujo exercício se dá sob a forma de delegação a um agente. O tradutor público é um agente delegado, um particular que recebe a incumbência de traduzir textos legais para o vernáculo, e a realiza em nome próprio, por sua conta e risco, mas segundo as normas do Estado e sob a permanente fiscalização do delegante.

Consulte a página Legislação deste site para mais informações